31 de julho de 2008

Pra não passar batido!

Mês de julho está terminando e nenhuma postagem até agora. Desculpas teria várias. Nenhuma muito convincente. Melhor confessar que relaxei e deixei o blogue em segundo plano esses dias. E os versos também. Estive envolvido com as ações da Unicordel na Fenearte, na Festa de Taquaritinga e no Festival de Inverno de Garanhuns. O pré, o durante e o depois. Andei também cuidando do meu sítio aqui na internet, que deverá ser inaugurado nos próximos dias.
Versos novos, quase nenhum. Acho que só uma setilha que fiz tirando onda com minha grande amiga e pareia, Susana Morais, cordelista de primeira e agora economiária. Dediquei-lhe estes irônicos versos, que brincadeira à parte, representam a alegria compartilhada por essa sua nova conquista, a convocação para a Caixa Econômica Federal. Ei-los:

Susana vai para a Caixa
Nossa alegria eu não nego
Para parabenizá-la
nestes meus versos me apego
Eu que pensava que ela
Só iria à caixa-prego.

(Versos "feitos nas coxas" e declamados durante a farra bebemorativa do seu novo emprego)

Um comentário:

culturanordestina disse...

Meu compadre e colega, estamos sempre na luta pra deixar a essa nova geração, um pouco de cultura. Seja sempre muito bem vindo! Grande abraço.